Registro de identidade é literalmente destruído pelo governo Britânico

 

O governo britânico colocou hoje uma pá de cal definitiva no projeto de um sistema de identidade único e de cédulas de identidade para os cidadãos britânicos.

A tentativa de introduzir uma cédula de identidade obrigatória e um registro nacional de identidade para os britânicos foi uma iniciativa pela qual o governo anterior, de Tony Blair, lutou vigorosamente por vários anos. A medida, no entanto, encontrou diversas barreiras para sua implementação e o atual governo – que manifestou-se frontalmente contra a implementação deste registro – encarregou-se de descontinuá-la. Nas palavras do vice-primeiro ministro Nick Clegg, esta posição teve como fundamento a defesa das liberdades individuais:

“The ID cards scheme was a direct assault on our liberty, something too precious to be tossed aside, and something which this government is determined to restore. The government is committed to rolling back as much state interference as humanly possible, and the destruction of the register is only the beginning.”

Interessante notar uma tendência a diferentes dinâmicas de utilização de registros centrais de identidade em diversos países. A descontinuidade do programa britânico contrasta, por exemplo, com a perspectiva de uma país como a Índia de cadastrar e fornecer uma cédula de identidade a cada um de seus cerca de 1,2 bilhões de habitantes.

A foto abaixo mostra o ministro Damian Green introduzindo em uma máquina trituradora um dos 500 discos rígidos que continham o registro de identidade. A foto é de SA Mathieson, do jornal The Guardian – que tem uma galeria de fotos da destruição disponível. Além da destruição dos dados em si, o sistema de cédulas de identidade foi descontinuado e as cédulas já emitidas não serão mais prova legal de identidade e nem serão aceitas em deslocamentos internacionais.

Leave a Reply

Your email address will not be published.